Núcleo de Saúde CGS
Psicologia - Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH)

O transtorno de déficit de atenção/hiperatividade (TDAH) é uma condição neuropsiquiátrica que acomete crianças, adolescentes e adultos em todo o mundo. A principal característica do referido transtorno é uma redução sustentada no nível de atenção e uma intensificação na impulsividade ou hiperatividade.

O TDAH afeta entre 5 a 8% das crianças em idade escolar; 60 a 85% dos indivíduos diagnosticados quando crianças continuam a atender aos critérios para o transtorno na adolescência, e até 60% permanecem sintomáticos na vida adulta.

No passado, havia dois subtipos desse transtorno: tipo envolvendo déficit de atenção e tipo hiperativo/impulsivo. No DSM-5, esses subtipos foram substituídos por três especificadores: (a) apresentação combinada; (b) apresentação predominantemente desatenta; (c) apresentação predominantemente hiperativa/impulsiva. 

Os dados existentes indicam que o TDAH é basicamente genético, com uma hereditariedade de cerca de 75%. Seus sintomas resultam de interações complexas dos sistemas neuroanatômicos e neuroquímicos.

Os sinais principais de desatenção, impulsividade e hiperatividade devem ser fundamentadas na história detalhada dos padrões de desenvolvimento da criança, em combinação com a observação direta.

O diagnóstico de TDAH requer a presença de sintomas persistentes e prejudiciais de impulsividade e hiperatividade ou desatenção em, pelo menos, dois ambientes diferentes (por exemplo, escola e casa).

As características que distinguem o transtorno em análise são déficit de atenção e níveis elevados de distração para a idade cronológica e para o nível de desenvolvimento. Crianças com TDAH, na escola, apresentam dificuldade em seguir instruções e exigem um nível de atenção individualizada por parte dos professores. Já em casa, é usual a dificuldade para seguir as orientações os pais, que são obrigados a pedir diversas vezes que os filhos completem a execução de tarefas bastante simples.

É importante frisar que é muito difícil fazer a distinção entre características temperamentais e sintomas fundamentais de TDAH antes dos 3 (três) anos de idade. Inúmeros níveis elevados de atividade e de deficiência de atenção, na faixa normal para a idade da criança e sem qualquer comprometimento, devem ser excluídos.

As características mais observadas em crianças com TDAH são hiperatividade, déficit de atenção (memória curta), distração, incapacidade para concluir tarefas, desatenção, má concentração, impulsividade (agir antes de pensar, mudanças súbitas de atividade, falta de organização, dar pulos na sala de aula), déficits de memória e de raciocínio, incapacidade de aprendizagens específicas e deficiências na fala e na audição. Em geral, as características associadas também incluem deficiência motora perceptiva, instabilidade emocional e transtorno da coordenação do desenvolvimento. Um percentual significativo de crianças com TDAH apresenta sintomas comportamentais de agressão e desafio.

A terapia farmacológica é considerada o tratamento de primeira linha para TDAH. As intervenções psicossociais em crianças com TDAH incluem psicoeducação, habilidades de organização acadêmica, reabilitação, treinamento de pais, modificação comportamental na sala de aula e em casa, terapia cognitiva-comportamental e treinamento em habilidades sociais.

Para mais informações, o Núcleo de Psicologia do Colégio Guri Sênior está pronto para esclarecer.

Por Núcleo de Psicologia do Colégio Guri Sênior