Núcleo de Saúde CGS
Psicologia - Síndrome do Pânico

A Síndrome do Pânico é uma espécie de transtorno de ansiedade, no qual o indivíduo apresenta crises de medo intenso e/ou desespero, sem haver motivos aparentes para tanto. Pessoas que são acometidas por esse transtorno estão.

As causas que levam uma pessoa a desenvolver a Síndrome do Pânico são desconhecidas, mas a Ciência aponta para uma série de fatores que, provavelmente, estejam relacionados ao desencadeamento do transtorno, como fatores genéticos, estresse e mudanças na forma de resposta do cérebro diante de determinadas situações.

As crises de pânico podem acontecer em qualquer lugar e a qualquer hora, em um shopping, no trânsito, em casa, pela manhã, à noite, durante o sono. São momentos em que o indivíduo sentirá um extremo desespero, podendo haver: medo de morrer, sensação de estar fora da realidade, sudorese intensa, taquicardia (palpitações em ritmo acelerado), dificuldade para respirar, dores no peito, dormência em membros, entre outros sintomas extremamente desagradáveis. Nas primeiras crises, a pessoa pode julgar que está tendo alguma doença cardíaca, sendo comum buscar um cardiologista ou, até mesmo, um centro de emergência. 

Um dos aspectos importantes da Síndrome do Pânico é o chamado medo de ter medo. Esse sintoma ocorre quando o indivíduo já experimentou a sensação desagradável de uma crise de pânico e tem extremo medo de ter outras crises. Desse modo, o indivíduo foge de todas as situações nas quais, em seu entendimento, podem lhe levar a uma nova crise. Nessa fuga, o indivíduo vai se isolando socialmente e evitando situações rotineiras. Esse sintoma causa extremo sofrimento ao paciente, pois lhe retira a possibilidade de vivenciar o que as demais pessoas vivenciam sem qualquer medo.
A Síndrome do Pânico, normalmente, inicia-se na adolescência, mas também pode se manifestar após os 30 (trinta) anos de idade; é mais comum em mulheres do que homens.

O transtorno tem tratamento, em geral medicamentoso associado a terapia. Esse acompanhamento médico e psicológico é de fundamental importância para o paciente que sofre de Síndrome do Pânico. O tratamento conduz o indivíduo a suas atividades normais e faz com que cessem as crises. Então, não vamos deixar de buscar ajuda no caso de apresentar algum sintoma desse transtorno. A Síndrome do Pânico deve ser encarada como qualquer outra doença do nosso organismo que precisa de tratamento e controle.

Para maiores informações, o Núcleo de Psicologia do Colégio Guri Sênior está pronto para esclarecer.

Por Núcleo de Psicologia do Colégio Guri Sênior